Um passo em falso...




Ontem eu comecei uma conversa e por causa de um erro ingênuo, dei um passo em falso e acabei criando uma situação que fugiu ao meu controle.


De uma pergunta simples, onde a resposta era quase certa, acabei abrindo uma ferida fechada a décadas e décadas.
Isso causou uma enorme dor... por que aquele sentimento estava guardado a muito tempo... praticamente esquecido. Mas o universo é sábio... nada fica escondido do universo. Seja em ações, modo de agir, caráter, felicidade ou tristeza... estamos sempre querendo demonstrar o amor por alguém que sofreu... mesmo que não o tenhamos conhecido, desde que ele faça parte do nossos sistema familiar, já é o suficiente para que tenhamos um vinculo de amor que nem mesmo nós conhecemos.


Mesmo com toda a confusão criada, a última peça do quebra-cabeça apareceu... e depois de 27 anos, eu consigo entender agora muita coisa sobre minha família e até mesmo sobre algumas posturas perante a vida que mantive até hoje.


O que eu levo disso tudo?


Toda ferida aberta traz dor... mas se uma ferida está com casca e não cicatrizou por baixo, de nada adianta. Cedo ou tarde essa ferida vai abrir novamente. 
A verdade SEMPRE aparece, boa ou ruim... ela sempre aparece e é uma ótima oportunidade para aprender.


E digo mais, por mais que haja dor... depois que uma ferida se abre... é hora de deixar ela tomar um solzinho, respirar um ar puro e esperar que ela cicatrize de dentro para fora.
Com isso, temos uma cura na vida das pessoas, teremos uma cura no nosso sistema familiar e ninguém mais precisará demonstrar um amor inconsciente por outra pessoa do sistema.


O que eu levo disso tudo?


AMOR... amor por minha família...
FELICIDADE... por poder ter sabedoria para enfrentar uma situação tão dolorosa e ainda assim poder contribuir para a cura e a felicidade de meus familiares. E feliz também por poder encontrar a última peça do quebra-cabeça...



Isso quer dizer que daqui pra frente eu levarei comigo essa nova informação...
Poderei ser eu mesmo e demonstrar meu amor de outra forma...


Se este post pareceu um pouco sem sentido pra você, leia sobre constelação familiar de Bert Hellinger e após algum tempo você entenderá.


Vou seguindo em frente nessa estrada. 
Feliz por cada erro cometido, pois o aprendizado com eles tem sido incrível.


Beijos e abraços a todos.

8 comentários:

LÍVIA TUNES PERETTI disse...

Juju, você é incrível... #Belo texto!

JuLio Lussari disse...

É só a jornada de um guerreiro pacífico...
Com seus erros e acertos... e as tentativas de mostrar para o próximo a divindade que há em cada um.

Obrigado por sempre estar por perto.

Um Beijo.

Larissa disse...

É assim mesmo, o universo está esperto para qualquer movimento, pensamento e energia que vc manda, é tudo um grande ensinamento. Quando dizem: se tudo está bem, daqui a pouco vem algum problema, se está ruim, calma piora. Não por sacanagem, é pq o ser humano tem uma leve deficiência em aprender mais rápido com a dor, do q com amor. O que não deixa de ser válido e com certeza e motivo de felicidade.

JuLio Lussari disse...

Yeah...

A dor vem quando a gente tenta ocultar algo que precisa ser resolvido.
Cedo ou tarde a dor volta, até que a olhamos, incluímos e aceitamos aquilo como parte do nosso aprendizado. Afinal, se não fosse os tombos e a coragem de tentar mais uma vez, nunca iríamos aprender a andar de bicicleta.

Essa é pra ti.

Obrigado por sempre estar presente nos últimos tempos.

Eli disse...

Acabamos sempre por amenizar muitas situações, e com isso, deixamos de ladinho a mágoa dizendo que ta tudo bem. Mas quando reaparece, é o momento certo para exclarecer muita coisa, e com isso deixar muitos fantasmas irem embora. É a evolução de cada um.
Muito bom esse post!!!
ABcs

JuLio Lussari disse...

Pois é Eli...
As vezes queremos ajudar os outros e sofremos por não poder ajudar.
Mas temos que ter consciência de que cada um tem sua jornada e sua forma de aprender.
Quando as pessoas saem da sensação da dor e entram na sensação da cura, o milagre acontece.
É muito interessante ver o mundo por esse ângulo.
Obrigado por sempre comentar aqui.
Um abraço

Daniel disse...

Você leu a scientific american desse mês? Fala exatamente sobre isso, o título é "Como a mente supera tragédias"

A dor não é completamente ruim, pois com ela aprendemos a ter compaixão pelo próximo e depois de superada, ficamos mais forte.

Agora a grande pergunta é: Qual era a última peça do quebra-cabeça?

Minha curiosidade não tem fim...

JuLio Lussari disse...

Um segredo revelado é como um tesouro que está enterrado embaixo das pedras do ponto mais fundo do oceano.

Tem que ser tratado como único e guardado pra si.

=D

BlogBlogs.Com.Br