E afinal de contas... o que é ser pai?


Mais um ano passei o dia dos pais longe do meu velho...
Percebi que certas datas comemorativas para mim já não tem tanta influência por causa de minhas escolhas, do meu destino e da minha missão por aqui.
Não posso negar que sinto falta...


Falei com meu pai na hora do almoço... a vontade de estar lá era muito maior do que a abertura em minha garganta...


Ao mesmo tempo fico pensando que a minha vontade de ter um filho é tão grande e tão clara em minha mente como os outros objetivos que coloquei para minha vida.


Porque penso que ser pai é muito mais do que é propagado por ai.


Ser pai é entrar em comunhão com uma mulher (de preferência a que você ama e estará junto pelo resto desta jornada).
É entrar em harmônia com a divina providência e aceitar dar a oportunidade para um novo ser que se encaixa perfeitamente naquela situação.
É permitir que um ser divino encontre neste casal e família a oportunidade certa para se desenvolver e evoluir, de fazer a sua parte e contribuir para a humanidade.


Ser pai é muito mais do que prover o alimento, é a oportunidade de ter um ser divino (as vezes até mais velho e muito mais sábio do que você), e ter a honra e o prazer de instruí-lo em seus primeiros anos de vida.


Ser pai é entender que poderei dar tudo ao meu filho, mas nada superará o presente da vida.


Ser pai é incentivar, é provocar a ação, é direcionar, e o mais importante é comemorar junto cada vitória.


Ser pai é olhar o filho chorando e dizer: Vamos... levante... a vida é dura, mas não se trata de quanto você cai, se trata de quanto você consegue se levantar e seguir em frente.


Ser pai é dizer: Não tenha medo... eu estou aqui para te proteger.
Eu e o cara lá de cima estamos aqui para te manter em segurança... eu e ele somos maioria absoluta, não tenha medo.


Ser pai é olhar o filho saindo de casa e pensar: Segue teu caminho... te dei a vida como um filho, mas somos irmãos perante ao nosso pai celestial, vá em paz com a companhia dele.


Ser pai é ter fé e acreditar que o filho é ele melhorado, e não melhor do que ele.


Ser pai é saber que o filho é ele, a mãe e algo a mais.


Ser pai é olhar para o filho, estufar o peito e dizer: Bem-vindo ao planeta terra, aqui você poderá ser, ter e fazer o que quiser em prol de um mundo melhor e pela evolução humana.


Não me importo que meu pai não tenha falado algumas coisas dessas pra mim. Amo ele como meu pai e como meu irmão.
Sou grato todos os dias por ele ter concedido junto a minha mãe a oportunidade perfeita para que eu pudesse vir a este mundo fazer a diferença.


Sou grato por todas as coisas que eu tive... porque foi o que ele pode me dar. 
Tenho certeza que ele fez tudo o que pode.
Não fico me lamentando pelo que eu não tive... só tenho gratidão.
E as coisas que machucaram... bem... essas tem de ser perdoadas e deixadas para trás... afinal, vivemos no hoje, no agora.


Talvez existam poucos pais por ai que tenham dito ou pensado tudo isso ai de cima... a certeza que tenho em meu coração... é que serei um deles.


Nada menos que isso me interessa mais...


Beijos e abraços a todos.


#Arrebenta


Post em homenagem ao Senhor Wilson (meu pai) e o Seu Antônio (meu avô)

7 comentários:

Patricia disse...

Na sexta conversando sobre a vida de Napoleon Hill, era sobre essas coisas que eu pensava sem saber como traduzir. Isso brother, é o algo a mais. Jornada boa é jornada caminhada. Seus filhos e os meus filhos tbm serão a geração da Virada. nada menos que ser "pais like a boss" interessa!

Eli disse...

Julio, cada dia, cada post seu te admiro mais.
Sao essas coisas que vc tem me ensinado durante esses anos, e agora mais ainda estando em contato com voce.
Pai eh tao dificil de ser... Pai pensa em muito no melhor para o filho por mais que esteja puxando a orelha... Pai tem que ser antes de tudo, alguem que de exemplo de vida.
Muito bonita essa homenagem!

Um dia sera a sua vez de ser pai! Tudo muda. Nada mais importa do que a felicidade do filho.

bjo

JuLio Lussari disse...

É Pathy...
Você falou tudo... as gerações que estão vindo serão as gerações da virada.
Cabe a nós sermos bons instrutores...

#QuebraTudo

JuLio Lussari disse...

Oi Eli...
Sinto que tô entrando na fase do "discipulando"... aquela que você começa a aprender mais ensinando...
Percorrer sozinho sempre nos faz ir mais rápido... mas é na prática do dia a dia que vai nos transformar em mestres um dia...
A perfeição de uma pirâmide começou um dia com bloco a bloco... tudo a seu tempo.

Meu pai mandou um e-mail incrível pra mim quando ele leu este post e ele finalizou assim: O filho é a prece inacabada de um pai...

Eu fiquei emocionado porque consegui compreender essa frase de inúmeras formas diferentes...

Um dia será minha vez... e que venha... uma, duas e três vezes...

Nada menos do que dar a oportunidade para um ser e ser responsável por sua instrução me interessa... =D
Beijos e abraços

Akemi de Queiroz Sakaguchi disse...

Olá Julio, gostei do que li, e me impressionei pelo fato de que vc ainda não é pai e já tem uma percepção clara e objetiva sobre o assunto. Sou do princípio que temos que sentir na pele para que possamos ter uma ideia conclusiva sobre as coisas, sou mãe 3x e isso mudou a minha vida, e hoje, até um mundo melhor eu quero ter, não que eu nunca desejasse isso, só é uma forma de explicar os sentimentos que tomam conta de nós quando somos responsáveis por uma vida. Quando vejo pessoas ruins, costumo dizer: essa pessoa precisa ter um filho. Embora não ocorra mudanças significativas em âmbito geral, acredito que algumas pessoas tornam-se melhores.
Parabéns pelo texto.

Karlla Davis disse...

Adorei o texto.

Rafaela M. disse...

Também passei muitos e muitos dias dos pais sem ver o meu velho, mas dessa vez consegui ir ve-lo e arrasamos beaches paulistas! LOL

É admirável ver um cara como você com esse entendimento e essa vontade sobre a paternidade... Parabéns pelo post!
(PS.: e desculpa o meu sumiço, auhsuahsuahsuahs)

#Arrebenta! Beijos da Rafitcha!

BlogBlogs.Com.Br